Escola megárica

De Filosofia Clínica
Ir para: navegação, pesquisa
Este anexo ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde Fevereiro de 2008).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirus. Veja como referenciar e citar as fontes.

Escola Megárica foi uma escola filosófica fundada por Euclides de Mégara cuja denominaçãp provém do nome desta cidade grega.

Influências

Considerada uma das escolas socráticas, juntamente com os cínicos e os cirenaicos. Tais escolas são assim caracterizadas porque´têm no pensamento de Sócrates a principal influência, em especial no que tange à correlação indissolúvel entre conhecimento e virtude, apontada por este. Além de Sócrates, a doutrina dos megáricos possui relações estreitas com o eleatismo, principalmente quanto à afirmação da unidade do Ser como princípio da realidade. Os principais representantes da escola megárica são Eubúlides, Fílon de Mégara, Diodoro Cronos, Alexinos e Estílpon. Este último teria exercido influência sobre as concepções filosóficas de Zenão de Cítio, fundador do pensamento estóico e de Brisão, o qual, parece ter sido mestre de Pirro, um dos fundadores da escola céptica. Assim, pode-se compreender as influências megáricas presentes nesta corrente de pensamento.

Pensamento

Segundo a concepção megárica, o verdadeiro princípio da realidade são as idéias, imóveis, não geradas, inteligíveis e incorpóreas. A estas contrapõem-se os corpos, em constante movimento de geração e corrupção. Deste movimento perpétuo, ectrum ou devir, os megáricos negam a realidade, valendo-se de um método chamado esmiuçamento. Este consiste na afirmação de um determinado estado, no qual se opera uma paulatina adição ou subtração de um elemento, na intenção de mostrar que, deste modo, jamais se alcança o seu oposto. Por exemplo, como o muito pode advir do pouco? Se dois é pouco, três também o é e igualmente quatro. Caminhando com o pouco em uma unidade, até alcançar a dezena, como ela se constituiria como muito? Isto é, em que ponto da série podemos afirmar ter o muito se convertido em pouco? Em sua discussão com vistas à negação do movimento, os megáricos voltavamse também para o problema da possibilidade. Para estes, algo somente é possível se já é ou será real. Se cada fato realizado é verdadeiro e se do possível não pode provir o impossível, logo, do possível só poderá provir aquilo que é ou será verdadeiro. Assim, segundo este pensamento, somente há a unidade do ser, não existindo o diferente e nem tampouco o movimento. E se o que há é somente identidade, não pode haver distinção entre o Ser e o Bem, recebendo este as denominações Deus, Princípio, Pensamento. Em seu conjunto, o estoicismo pode-se dividir em três períodos: um período antigo ou ético, um período médio ou eclético, um período recente ou religioso. Os dois últimos, bastante divergentes do estoicismo clássico.

Ícone de esboço Este sobre filosofia / filósofo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Obtida de "http://www.wikifilosofiaclinica.com/index.php/Escola_meg%C3%A1rica"
Ferramentas pessoais
Espaços nominais
Variantes
Ações
Navegação
Ferramentas